> Amamos Travestis: Junho 2015
Amamos Travestis

Amamos Travestis

domingo, 28 de junho de 2015

Travestis para os homens solteiros da China e do mundo


Na China, em virtude da politica do filho único do Partido Comunista, está havendo um grande excedente de homens, porque as meninas em geral são abortadas. O resultado disso é que já há na China 30 milhões de homens a mais do que mulheres. São homens que nunca encontrarão uma esposa, porque simplesmente não existem mulheres em número suficiente para eles. Qual é a solução para esse problema? O que é que esses 30 milhões de homens solteiros na China farão com suas vidas? A minha proposta é transformá-los em travestis e depois exportá-los para todos os países da Terra. Já imaginaram? Quanto é que você estaria disposto a pagar por uma noiva travesti chinesa, bem mimosinha e feminina como essas das fotos abaixo? Essa minha solução resolveria o problema da superpopulação masculina chinesa e resolveria o nosso problema brasileiro de falta de travestis para namorarmos, porque, apesar do Brasil ter a maior população mundial de travestis, o número de trans é totalmente insuficiente para suprir sequer 1% da nossa demanda por travestis. O Brasil poderia se tornar uma superpotência se se especializasse na produção em massa de travestis. As travestis são o futuro da humanidade. Elas são o grande mercado do século XXI. Muito em breve, vários países vão começar a perceber o infinito potencial de transformação social que as travestis representam, e vai haver uma corrida armamentista entre os países para ver qual nação vai produzir mais travestis e as travestis mais lindas e femininas. O Brasil já se tornou exportador liquido de travestis, com algumas das nossas meninas emigrando para a Europa, a fim de fazerem programas. No entanto, quando nós analisamos os números totais de travestis, nós vemos claramente que há uma constante falta de travestis no Brasil e no mundo. Mesmo que nós convencessemos TODOS os homens brasileiros a virarem travestis, mesmo assim, haveria uma grande falta de trans, porque mesmo que todos nós virassemos travestis, mesmo assim, nós não conseguiriamos suprir nem 10% da demanda chinesa por travestis. E isso sem contar a India, a Europa e outros países, inclusive o próprio Brasil, já que as travestis não se limitam apenas a substituir as mulheres aonde elas não existam; mas também, as travestis substituem as mulheres até aonde há muitas mulheres, porque as travestis são melhores em todos os quesitos. O país que sair na dianteira, vai ter um grande poder no mundo. Não creio que o Brasil se tornará uma superpotência somente graças às travestis; mas nós poderiamos nos tornar um tipo de Arábia Saudita das trans, produzindo travestis em massa e Know How e escolas e cursos para vendermos para outros países, ensinando como eles mesmos poderiam produzir as suas próprias travestis. Os Chineses tem muito mais matéria prima e potencial para produzir muito mais travestis do que nós; mas nós no Brasil já temos até uma certa tradição nessa área de fabricar travestis e, se nós conseguirmos produzir travestis em massa no Brasil, talvez isso chame a atenção do governo da China, para essa formidável solução e isso poderia mudar o curso da história do mundo.
De um jeito ou de outro, o fato é que as travestis nunca mais vão desvalorizar, porque a demanda por travestis vai aumentar de forma exponencial nos próximos anos, no Brasil e no mundo e cabe a nós não perdermos essa oportunidade e começarmos a transformar o maior número possível de homens em travestis. Até porque, quanto mais travestis existirem, menos poder e influência as mulheres e as feminazis terão, então nós vemos claramente que as travestis só trazem benefícios a todos; exceto às feministas, mas essas só merecem se ferrar mesmo. Então, sejamos todos travestis.








Por que as lésbicas estupram muito mais do que os gays?

Foi feita uma pesquisa nos EUA e constatou-se que a taxa de estupro entre lésbicas é de no minimo o dobro, da taxa de estupros que ocorre em casais gay masculinos.
30 % das lésbicas reportaram ter sofrido agressões sexuais ou estupro por outra mulher (não necessariamente um íntimo renzetti, parceiro) (1992)
15 % dos homens que vivem com um macho íntimo parceiro reportasse sendo estupradas, agredidas e seguido por um macho cohabitant (CDC, 1999)"

Vejam trechos da noticia, em inglês, logo abaixo:

Algumas estatísticas sobre a agressão sexual e estupro. "Pense a treinar novamente arquivo 2007.PDF.. bissexual, transgendered, lésbicas e os gays sofrem violência dentro de suas relações íntimas por volta as mesmas taxas que os heterossexuais (Waldner- Haugrud, 1997; AVP, 1992.) 30% das lésbicas relatam ter experimentado agressão sexual ou estupro por outra mulher (não necessariamente um parceiro íntimo) (Renzetti, 1992) 15% dos homens que vivem com um relatório parceiro íntimo do sexo masculino ter sido estuprada, agredida ou perseguida por um convivente do sexo masculino (CDC, 1999) relatório Lesbians "fisicamente ou mentalmente sexo coercitivo" mais frequentemente do que os gays fazem. Um estudo descobriu que trinta e um por cento das lésbicas relataram encontros sexuais forçados contra doze por cento dos homens gays. (Scholars ter presumido que lésbicas e gays discordam sobre o que é considerado "agressivo." Muitas vezes, os relatórios lésbicas conter declarações de como eles foram abusados ​​emocionalmente como fisicamente abusada. Além disso, as lésbicas são muitas vezes mais "sensibilizados" para "coerção sexual" e pode mais facilmente identificá-lo, enquanto os homens são mais frequentemente do gat considerar "coerção como fair play" (estupro Statistics. "O Legado Hathor. Np, nd Web. 21 de maio de 2014.)Vítimas Masculino Estuprada Vítima acordou nua Acordei com dor em seu reto não se lembra "11 horas da noite." Fui para ER, onde ele então descobriu que ele era drogada e estuprada Fatores de Risco: Alexa Legaspi Leslie Gutierrez Melissa Sanchez A violência doméstica contra as mulheres foi relatado por quase 44% das lésbicas e cerca de 61% de bissexuais comparação com 35% heterossexuais og Entre os homens, 26% dos gays e cerca de 37% de bissexuais. A violência por parceiro relatou em comparação com 29% dos heterossexuais. (Heavey, Susan. "Dados Mostra Violência doméstica, estupro e Emissão para Gays". Reuters. Thomson Retuers, 25 de janeiro de 2013. Web. 01 de junho de 2014.)Apesar de estupradores data são normalmente homens, agressão sexual ocorre em ambos os relacionamentos masculinos gays e lésbicas vitimização de pessoas do mesmo sexo é tão traumático e pode ser ainda mais por causa das respostas potencialmente homofóbicos daqueles o sobrevivente volta-se para a ajuda ("Tipos de Violência Sexual..: Date Rape 
".

Meus comentários: Muito embora o movimento LGBT tente passar a idéia fantasiosa de que todos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Anunciad