> Amamos Travestis: Resposta a energúmeno que defende o Transfeminismo e me chama de burro
Amamos Travestis

Amamos Travestis

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Resposta a energúmeno que defende o Transfeminismo e me chama de burro

Um leitor escreveu o comentário acima sobre a nossa postagem anterior, na qual criticamos o Transfeminismo defendido pela Revista Carta Capital.
Eu não me sinto ofendido em ser xingado dessa forma, de ser chamado de burro, porque para mim, muito pior seria, se me chamassem de feminista ou de transfeminista. Isso sim, seria uma ofensa para mim.
Vamos supor por um momento, que esse leitor esteja certo e eu, de fato, seja um estúpido, ignorante e burro, com incapacidade cognitiva profunda e irreversível, porque eu sou contra o feminismo e contra o transfeminismo. Ok, então eu sou um Neandertal primitivo nesse caso, não importa, porque eu ODEIO o Feminismo e detesto o Transfeminismo. Eu não gosto da Revista Carta Capital, não gosto do feminismo, não gosto do Transfeminismo, não gosto desses movimentos LGBT, não gosto da Nambla e demais simpatizantes de pedófilos. Eu sou um estúpido ignorante por causa disso? Bem, pode até ser, mas, de fato, na minha condição de estúpido ignorante, eu vou cuspir, criticar e combater o feminismo e o transfeminismo até o meu último suspiro, porque eu detesto o feminismo. Não é uma coisa racional; é algo profundamente emocional, de uma aversão profunda que sinto pelo feminismo e pelo Transfeminismo; ao passo que sinto uma grande simpatia pelo Masculinismo e pelo Transmasculinismo. A Revista Carta Capital é uma órfã de Stálin, são comunistas desiludidos que, depois do fim da União Soviética, na falta de uma causa dos oprimidos para abraçar; abraçaram o feminismo e o ambientalismo, porque isso parecia ser o mais próximo de "oprimido" "proletariado" que temos hoje.
O transfeminismo e o feminismo nada mais são do que isso: um quer transformar as travestis nas novas proletárias da revolução socialista e o outro quer transformar as mulheres nas novas proletárias da revolução socialista. Na Matrix doentia da Carta Capital e das feministas e transfeministas, todos os homens são burgueses opressores privilegiados, porque são... homens!



Vejam logo abaixo outra capa da revista Carta Capital, usando as expressões Casa Grande, numa alusão aos tempos da escravidão no Brasil, aonde os proprietários viviam na Casa Grande e os escravos na senzala. Toda a demagogia da Revista Carta-Capital gira em torno de ressuscitar a luta de classes, que morreu com o fim da URSS. Eles fazem de tudo para dividir a sociedade, para jogar o "oprimido" contra o "privilegiado". Atualmente, a Revista Carta Capital quer transformar as mulheres, os gays e as travestis nos proletários da revolução contra a burguesia: Os homens, mesmo que sejam mendigos. Se vc é homem, então, segundo a lógica doentia das feministas e das transfeministas, você é um machista opressor privilegiado. Não importa que 98% dos moradores de rua sejam homens, nem que 95% dos mortos em guerras também sejam homens; a única vida que importa é a das mulheres. As feministas agem como se os homens não tivessem problemas e não sofressem. E é tão bom ser homem; mas tão bom, que muitos homens estão tomando hormônios femininos para virarem travestis para ficarem parecidos com mulheres e alguns até fazem aquela cirurgia de mudança de sexo. Se ser homem é ser da classe dominante; então por que os homens estão pagando fortunas para virarem mulheres? A própria existência do nosso site Amamos Travestis é uma prova da falsidade doentia dessa guerra de sexos que a Carta Capital fomenta, e que os homens não são privilegiados apenas por serem homens, e que o mundo e a humanidade não precisa nem do feminismo e nem do Transfeminismo. Peguem esse Transfeminismo e enfiem bem fundo dentro do cú de vocês, seus comunistas dos infernos.


Por tudo isso, eu não gosto do feminismo, não gosto do Transfeminismo e não gosto da Revista Carta Capital. Mas que ninguém pense que tenho insensibilidade social. O meu desejo é que a economia do Brasil crescesse a pelo menos 5% ao ano; para que todos tenham emprego e possam melhorar de vida. Eu quero que a obra de libertação nacional iniciada pelo Presidente Getúlio Vargas, seja terminada, que as empresas estatais sejam retomadas, assim como o Estado Desenvolvimentista. Esse é o meu desejo. Mas eu não quero jogar as mulheres contra os homens e nem as Travestis contra os homens, como a Revista Carta Capital e as Transfeministas. Até porque, quem procura as travestis, são justamente os homens. Os homens gostam das travestis, desejam as travestis. Os homens até pagam pequenas fortunas para terem alguns minutos de prazer com as travestis. Então para que serve esse Transfeminismo da Carta Capital? Para jogar as travestis contra seus principais clientes e benfeitores? Os homens.






2 comentários:

  1. É muito mais fácil uma mulher defender um gay do que as travestir, não raro tem as feminista radicais atacando(vou corta sua pica) e as outras mulheres ficam quietas que nem os "muçulmanos moderados". Mesma coisa são as conservadias que pagãm de certinha mas chia quando tem que fazer os deveres domésticos, apenas feminazis com a biblia d'baixo do suvaco.
    Não adianta nasceu com pinto a mulher é o inimigo, só se alia ao homem por causa da reprodução e sobrevivencia, o homem é porco espinho domindo de conchina com a porca espinha no inverno.

    ResponderExcluir
  2. Olha o que fizeram com o canal do zeus filosofo.
    http://zeusfilosofo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...