> Amamos Travestis: Perdendo a inocência com a travesti safada
Amamos Travestis

Amamos Travestis

domingo, 13 de maio de 2018

Perdendo a inocência com a travesti safada

Perdendo a inocência com a travesti safada
Escrito em 2 de Maio de 2018

Bom, antes de mais nada, quero me descrever. Na época do ocorrido, eu era branco, magro
e alto pra minha idade. Cabelo curto, castanho, de tamanho médio; olhos castanho escuro. Eu estava em uma festa de rua quando, de repente, vi uma linda travesti. Era morena, alta, pernas grossas, bunda grande e seios fartos. Os olhos eram castanhos, e os cabelos cacheados pretos.
Aproximei-me dela e perguntei se ela topava transar comigo, pois eu era bem novinho. Ela ficou me olhando um pouco receosa porque eu era realmente novinho. Mas insisti e ela acabou topando. Disse-me pra seguir ela que ela iria andando na frente até a casa dela. Segui-a até uma certa distância, chegando na rua que ela morava. Era uma rua meio escura. Fui apertando os passos pra não perder ela de vista já que era meio escura a rua. Ela chegou em frente à casa dela e rapidamente abriu o portão. Entrou e, logo em seguida, eu entrei também. Rapidamente ela fechou o portão e lá estava eu e ela juntos.
Ela parecia estar um pouco assustada com o que ela ia fazer. Eu também estava um pouco receoso por causa da minha família, que podia descobrir. Ia ter muito problema, mas como foi eu que propus a ela o meu desejo, então relaxei um pouco e conversei com ela dizendo que não se preocupa-se que era desejo meu. Ela ficou mais tranquila e deu um sorriso safado e começou a tirar a roupa dela. E falou pra eu tirar a minha eu tirei. Por último deixou a calcinha , que era vermelha, bem pequena, e perguntou se eu queria tirar ou ela tirava. Disse pra ela mesma tirar, o que ela fez, devagarinho. Eu só olhava quando, de repente, o lindo pau dela saiu pra fora. Era um pau bem grande e grosso de 23 cm. Eu fiquei assustado com o tamanho aí ela disse:
– O que foi? Ficou assustado?
Respondi:
– Um pouco…
Era a primeira vez que via um tão grande e grosso. Ela sorriu e disse:
– Relaxe! Vou fazer com cuidado pra não te machucar.
Então eu fiquei mais calmo, ela mandou eu mamar e eu ajoelhei e comecei a chupar a cabeça. Ela começou a gemer com tesão e falava que eu tinha boca macia, de veludo. Segurou no meu cabelo e começou a forçar minha boca a engolir, mas o pau dela cada vez mais que entrava mais ela gemia alto e dizia que eu era a puta dela.
Em esguida mandou eu chupar o saco dela. Chupei eu ia do saco pra cabeça, engolia o pau dela e voltava pras bolas. Ela gemia já como uma louca e me pediu pra eu deitar de pernas abertas. Obedeci r ela veio olhar meu cu. Pergunto se eu era virgem e eu respondi que sim. Ela tascou a língua no meu cu. Lambia, beijava, chupava e enfiava a ponta da língua.
Depois disso, cuspiu no meu cu e pegou uma camisinha. Vestiu o pau dela e tornou a cuspir no meu cuzinho, deixando-o ensopado. Ela veio e começou a força o pau dela no meu cuzinho pequeno. Forçou, mas não entrava. Então foi pegar um vazo de lubrificante e passou no meu cuzinho por fora e enfiou o dedo cheio de lubrificante e logo veio o segundo dedo dentro de mim. Ela começou a me comer com dos dedos e só jogando lubrificante.
Depois de um tempo, ela tirou os dedos e voltou a forçar o pau dela no meu cuzinho. Com muito esforço, conseguiu e eu só fiz gemer na hora que senti aquele pau duro entrando dentro de mim e me rasgando todo. Ela ficou fodendo devagar e com cuidado até ela perceber que meu cuzinho já estava se acostumando.
Eu já estava gemendo desde a hora que entrou. Vendo eu gemer, ficuo louca de tesão e falou:
– Que puta safada! Eu vou te arrombar toda.
Assim, começou a comer com força. Eu só gemia de tesão e prazer, e ela só socava no meu cuzinho e gemia.
Depois ela me mudo de posição e me mandou ficar de quatro. Dessa vez, meteu devagar; enfiou com tudo e começou a forçar. Batia na minha bunda e falava “que puta gostosa! Rebola, puta gostosa!”
Eu tentava rebola, mas, como nunca tinha feito algo do tipo, não fiz muito direito. Ela insistiu mandando eu rebolcar direito.
– Se não, vai ser castigada!
Tentei fazer o que ela me pediu, só que ela não fico satisfeita. Então ela disse:
– Vai ser castigada, puta safada!
E mandou eu ficar de joelhos e botar a cara no chão. Fiz o que me mandou e fiquei com a bunda pra cima. Ela veio, posicionou um pé entre minhas pernas e, com o outro pé, pisou na minha cara. Meteu o pau em mim, e começou a me comer com bastante força, batia na minha bunda e dizia aprenda a rebola minha puta gostosa se não você vai ser muito castigada ainda. Depois disso, ela me botou de ladinho pra me comer. Meteu e batia na minha bunda e socava gostoso em mim ela gemia que nem uma louca e falava “que cuzinho apertado!”. De vez em quando eu contraia o cu pra morder o pau dela. Ela ficava com mais tesão ainda.
Depois disso, me empidurou nela e meteu na minha bunda e mandou eu movimentar gostoso. Movimentei e ela só fazia gemer. Depois, mando eu ajoelhar, que eu ia receber leite na boca e mandou eu mamar. Mamei gostoso e ela falou pra eu abrir bem a boca. Abri e ela gozo em jatos de muito leite grosso na minha boca e falou pra eu beber tudo. Como uma puta obediente, bebi tudo.
Por fim, mandou eu ir tomar banho. Fui tomar banho e ela foi atrás de mim. E de novo me fodeu. Mais uma vez me colocou de frente pra ela e de costas pra parede. Empindurei-me nela nela e ela me fodeu mais um pouco.
Ao final de tudo, eu sabia que a partir daquele dia seria sua puta particular. Toda semana eu ia na casa dela.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...