> Amamos Travestis: Os Transfóbicos nos seriam mais úteis do que nossos supostos "amigos"
Amamos Travestis

Amamos Travestis

domingo, 5 de agosto de 2018

Os Transfóbicos nos seriam mais úteis do que nossos supostos "amigos"

Gostaria de compartilhar com vocês alguns pensamentos que me ocorreram nos ultimos dias. Posso estar enganado sobre alguns deles; mas creio que meu raciocínio sobre a atitude correta a se tomar é irrefutável.
Estive lendo o Programa de governo do Presidente Lula e, infelizmente, nele consta apoio ao feminismo e aos grupos LGBT.
Não gosto dessa intromissão do Estado na esfera da vida privada dos indivíduos. O pretexto em si é ridículo: combater discriminação contra as mulheres. O feminismo é uma ideologia má e falsa em si mesma e o Estado só a suporta, por causa dos trabalho pseudocientíficos que a máfia feminista faz nas Universidades, que elas controlam totalmente e silenciam quem pensa diferente ou discorda de seus dogmas pseudocientíficos.
Vamos supor que essas leis todas sejam aprovadas, todas as micro agressões sejam passíveis de punição ou prisão pelo Estado. Como saberemos que estamos indo no caminho correto da feminização? Quer dizer, o Padre Jesuíta Baltasar Gracián havia escrito há séculos atrás, que o inimigo é mais útil ao sábio, do que o amigo ao tolo. Se Gracián está correto, e eu acredito piamente que está, então os homofóbicos e os trans fóbicos seriam nos mais úteis do que nossos supostos amigos. E qual seria a utilidade de um trans fóbico para uma Travesti? Em uma palavra: feedback. Você só saberá se sua feminização está indo bem, se sua beleza feminina conseguir abalar alguém que não goste de gays e de Travestis. Os amigos em geral, não nos falam a verdade sobre nós mesmas, para não nos magoar; ao contrário de nosso inimigos, que tentam nos ferir; mas isso é uma coisa boa, porque serve-nos de motivação para nos aperfeiçoar.
O bulling e a perseguição acontecem na vida de todo mundo. Assistam àquele vídeo do Arnold Schwarzenegger: Pumping Iron e vocês verão que o Lou Ferrigno era um nerd magricela na escola e que Mike Katz foi muito discriminado por ser nerd e por ser judeu na escola e isso o motivou a se esforçar mais ainda do que as pessoas comuns.
Não acho que as Travestis sejam pessoas comuns. As Travestis tem uma mentalidade parecida com a de um fisiculturista, com a diferença de que almejam uma aparência feminina e não um corpo musculoso. Essa mentalidade está acima da média das pessoas, que são fracas, preguiçosas, não gostam de se esforçar pelos seus objetivos.
Não quero que o governo tire de mim meus inimigos. Preciso deles para estar sempre alerta e saber quais são os meus pontos fracos, que preciso melhorar. Não quero que tirem meus direitos; mas também eu não quero tirar o direito de ninguém de se expressar. Aliás, essa é a base do direito à liberdade de imprensa: as criticas da imprensa servem para o governo corrigir os rumos, aonde estiver errando. Como saberemos se estamos indo no caminho certo, se as pessoas forem proibidas de nos repreender? Nós temos a liberdade de aceitar ou rejeitar qualquer sugestão que as pessoas nos façam; mas não devemos querer proibir as pessoas de nos criticar. Essa é a diferença entre o Transfeminismo e o Transmasculinismo. O Transfeminismo, imitando as feministas, querem silenciar toda crítica, toda oposição às suas idéias. O Transmasculinismo, ao contrário, escuta as críticas, pondera, decide, corrige os rumos, se necessário; mas reconhece que a oposição é necessária à toda vida na Terra. Não existe uma Tese, sem a Antítese correspondente.
Por exemplo, esse caso recente daquela peça odiosa de uma Transexual fazendo o papel de Jesus. Os religiosos se manifestaram contra a exibição da tal peça. Se as Travestis fossem Transmasculinistas, elas teriam respeitado o direito dos religiosos. Não interessa se a peça era desrespeitosa ou não. O que importa é que as pessoas de todas as religiões não queriam que uma peça dessa natureza fosse exibida. O correto deveria ter sido respeitar o sentimento dos religiosos nesse caso, que, me parece muito razoável da parte deles. Mas não, não foi isso que aconteceu. Aquelas energúmenas brigaram na Justiça até conseguirem exibir a odiosa peça. Por que? Porque elas são Transfeministas, elas querem brigar, querem impor pela força seus pontos de vista; elas querem ser respeitadas, sem respeitar ninguém. Se há alguém que apóie o Transfeminismo, considere-se expulso e banido do meu site a ponta pés.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...