> Amamos Travestis: Janeiro 2019
Amamos Travestis

Amamos Travestis

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Conversa com os leitores: Não há tantos homens héteros assim, levando prejuízo em divórcios. Será?

Recentemente, eu li um comentário de um leitor na postagem: http://www.amamostravestis.com.br/2018/08/tabefe-em-um-leitor-do-site.html?zx=8e51cfa6c2086401
Unknown5 de janeiro de 2019 17:46

A relação que o dono do blog tentou estabelecer entre o desejo que alguns homens têm por travestis e a decadência sócio-econômica do país é, no mínimo, esquisita. Não há tantos homens héteros assim, levando prejuízo em divórcios, ao ponto de isso poder ser chamado de calamidade social generalizada. Se o Brasil está na penúria, é porque tem tolerado a corrupção já por várias décadas, talvez desde a sua fundação. É tanta sujeira que chega a ser ingenuidade acreditar que tudo será passado a limpo e corrigido na gestão de Jair Bolsonaro. Do mesmo modo que a corrupção levou décadas para se estabelecer, outras décadas serão necessárias para erradicá-la, supondo que isto seja realmente possível. Quanto ao desgastado relacionamento homem-mulher, pode-se dizer que é uma, senão a principal causa do interesse de alguns homens por travestis. Outra causa é o aumento da disseminação da pornografia que, no passado, só era encontrada em revistas de fundo de banca e em cinemas obscuros. Hoje, está praticamente na casa de todo mundo. E, naturalmente, as mulheres do século 21 que são difíceis de agradar, a não ser que o sujeito seja rico, sarado, maconheiro ou mesmo um nerd. Hoje em dia, os homens precisam ser estilizados para agradar as mulheres. Esses é que são os machos-alfa que o dono do blog sempre menciona, mas que de homens mesmo têm pouco ou nada. Portanto, é a predileção das mulheres que se degenerou. Isso, associado à futilidade da época e à falta de consistência de muitos homens é o que gerou a situação calamitosa que vemos. Por isso é que os muçulmanos estão tomando conta da Europa.

Meus comentários: Sabe, o lugar apropriado para discutir esse tipo de questão é o meu site: www.feminismodiabolico.org 
Mas, como você tocou no assunto, cito apenas um artigo da revista Veja que afirma que um em cada três casamentos termina em divórcio. Isso é uma probabilidade pior do que a roleta russa, que a pessoa tem uma chance em seis de dar um tiro contra a própria cabeça. No casamento é uma chance em TRÊS de que dê errado. Veja a matéria da Revista Veja: https://veja.abril.com.br/brasil/um-a-cada-tres-casamentos-termina-em-divorcio-no-brasil/
E eu acho que isso é uma calamidade sim. Basta olharmos para o número de menores abandonados ou de menores no tráfico de drogas, sem contar outras mazelas sociais. Sob o ponto de vista dos homens, isso também é calamitoso, já que eles perdem seu patrimônio nos divórcios e ficam impossibilitados de poupar para formar patrimônio, porque tem que pagar pensão alimenticia. 98% dos moradores de rua são homens. Alguém se importa?
Mas, você me disse uma coisa interessante: não há tantos homens heteros assim se ferrando para que seja algo a ser levado em conta. Ora, basta que uma única pessoa esteja sofrendo uma injustiça para seja que seja algo a ser levado em conta. Ah, tem umas meia dúzia que tá se ferrando; mas eles não valem o esforço de sequer serem lembrados ou mencionados. 
Sem poupança, o governo fica implorando para capitais estrangeiros investirem no Brasil, porque a base do crescimento econômico é a poupança e um país que não poupa, a economia não cresce. 
É catastrófico sim, devastador. O feminismo destruiu um sistema que a sociedade humana levou milhares de anos para criar. E é um sistema que era mais ou menos o mesmo em todas as sociedades humanas ao redor do mundo, mesmo as que nunca tiveram contato umas com as outras. Era o sistema dos europeus, dos nativos americanos, dos chineses, dos japoneses, dos indianos, dos aborígenes da austrália, das civilizações pré-colombianas. Ou seja, toda sociedade, se formou em torno do sistema patriarcal; não houveram exceções ou exceção alguma. Aí veio a Simone de Beuvoir e disse que estava tudo errado que as mulheres tinham que mandar em tudo. Bem, não é objetivo do nosso site discutir sobre essas coisas, quem quiser saber mais acesse o nosso site Feminismo Diabólico. As pessoas acham que podem destruir as coisas sem colocar nada no lugar. Essas pessoas de fato destruíram algo; mas o que será colocado no lugar não é o que as feministas imaginaram. Sobre o Brasil, nós estamos na penúria, porque nos afastamos do caminho que nos foi traçado pelo Presidente Getúlio Vargas. O Bolsonaro é um incompetente, um covarde, um rastejante para os Estados Unidos. O problema do Brasil não é a corrupção; mas sim as perdas internacionais provocadas pelas remessas de lucros das multinacionais e pela nossa balança comercial deficitária de produtos industrializados e pelos escorchantes pagamentos dos juros da divida externa. Esse que sempre foi o nosso problema, desde a época da colônia: as trocas internacionais desiguais. Nós trocamos ouro por espelhos ou outros brinquedos na época da colônia e hoje trocamos minério de ferro e soja por brinquedos eletrônicos da China. Este que é o problema. Mesmo que ninguém roubasse nada no Brasil, ainda assim a nossa economia afundaria, porque as remessas de lucros das multinacionais e as trocas desiguais e os pagamentos dos juros da dívida externa são como furos no casco de uma embarcação, que tiram o dinheiro de circulação do território nacional. As coisas só não estão piores, porque o Presidente Getúlio Vargas teve a ousadia de criar a Petrobrás, a Eletrobrás, o BNDES, o Instituto do Açúcar e do Álcool (o precursor do Próalcool), a Companhia Siderúrgica Nacional, a Fábrica Nacional de Motores. Tudo o que o Brasil tem de bom e de construtivo foi feito pelo Presidente Getúlio Vargas e a mídia chamava ele de corrupto. A corrupção é um rótulo que os entreguistas usam para derrubar os nacionalistas e os patriotas como Getúlio Vargas. Foi com esse truque barato que o Serviço Secreto Americano derrubou Getúlio Vargas, porque eles não querem que o Brasil se desenvolva. Nós não precisamos combater corrupção nenhuma; o que nós temos que combater é a influência americana e as multinacionais americanas no Brasil. Temos que combater as ideologias americanas, como o feminismo e o ambientalismo. Temos que combater a maçonaria que é a forma pela qual as forças e os interesses contra o povo se coordenam. Essas que são as coisas destrutivas para a nossa sociedade e para o nosso país.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Anunciad